O brochante final de uma série "erótica".

9:28:00 da manhã


E depois de expectativas, grandes decepções, revelações não tão bombásticas, suspenses mal produzidos e excessivas cenas eróticas banhadas em grande pobreza de vocabulário ridiculamente divididas em capítulos e volumes... Acabei a série "Cinquenta Tons"!
O último volume: "Cinquenta Tons de Liberdade", não trouxe quase nada de libertador. Repetindo os mesmos erros dos volumes anteriores, E L James conseguiu destruir toda a pouca esperança de salvação que nasceu em mim quando li "Cinquenta Tons Mais Escuros", que sem dúvida foi o menos pior dos três livros.

Após se casarem, Anastasia e Christian Grey vivem uma lua-de-mel linda e começam a ser perseguidos. Com o mesmo suspense falho do acidente de helicóptero de Christian no segundo livro, descobre-se que Jack Hyde é o criminoso por trás da insegurança do casal e sua família. Depois que Hyde é detido o livro vira uma melação sem sentido. Mesmo sendo mais contida nas cenas de sexo explícito, senhora James entedia, chateia e esmaga corações de mulheres carentes. Problemas antigos do casal voltam pra ter um desfecho nada criativo, tornando o que deveria ser interessante e curioso em algo chato e cansativo. Enfiando o cotidiano do casal de maneira preguiçosamente mal colocada - e mal escrita - Christian Grey é o marido perfeito até saber que vai ser pai, e após um "clímax" escancaradamente baseado no estilo Stephenie Meyer de escrever, o ex-dominador resolve se abrir e dá uma de Edward Cullen ao "acordar pra vida" e passar a ser uma pessoa relativamente normal. O final você já pode imaginar... Uma família feliz e um Grey assumidamente personificado no homem dos sonhos de qualquer mulher!!!

Quando acabei o livro tive vontade de dizer e escrever muita coisa, mas por falta de conteúdo, pego um pouco a mania irritante de repetir as coisas da autora e volto a dizer que a série tinha muito pra merecer os elogios que recebe mundo afora, mas por falha total de E L continuo com a sensação de que o mundo literário foi privado de uma história realmente boa. Cheguei a me perguntar se a antiga empresária fez a obra dessa maneira propositalmente, já que abaixo da sua foto nos livros lemos que "desde pequena sonhava em escrever histórias que os leitores se apaixonassem". "50 Tons" é uma série que, ao contrário da maioria, foi feita para consumo e tremo só em pensar no quão longe isso chegará. 
De qualquer forma, "Fifty Shades" marcou minha estrada literária de forma não tão positiva, mas muito reflexiva. São livros de puro aprendizado que instigaram ainda mais minha visão crítica para best-sellers. E acho importante dizer que é um aprendizado COMPLETAMENTE LITERÁRIO! Levando em consideração que não achei a parte sexual tão educativa assim.

Um beijo de uma leitora decepcionada,
Tuane C.

You Might Also Like

2 pitacos

  1. Eu já nunca tive muita vontade de ler 50 tons, muito menos agora haha! Acho toda a história tão fraca e forçada, tão sem sentido, sem razão e sem sentimento, tão... twilight-sem-calcinha. Sabe? Não sei delimitar quanto é preconceito e quanto vem a partir do que eu já li a respeito, mas nada consegue me convencer de que é uma leitura que valha a pena. Ainda mais pra TRÊS livros.
    Beijão!


    http://nossosromancesadolescentes.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. Amei o "twilight-sem-calcinha"!!! HAHAHAHAHA
    Obrigada por participar, flor!

    Um beijo!

    ResponderEliminar